Daniel no Rádio



Integrantes do PSB entusiastas da candidatura de Joaquim Barbosa à Presidência da República iniciam nesta quinta-feira (19) uma peregrinação entre os demais caciques da legenda para pacificar as resistências em relação ao ex-ministro do STF (Supremo Tribunal Federal).

O primeiro passo é uma reunião da cúpula do partido, na qual será discutida uma estratégia da campanha e condutas prioritárias tanto para o jurista quanto para a sigla. "É um contato para pessoas do partido para sentirem dele a disposição [de disputar as eleições], ele colocar o que defende", afirmou ao HuffPost Brasil o líder do PSB na Câmara, deputado Júlio Delgado (MG).

Além das lideranças da Câmara e do Senado e do presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, foram chamados para o encontro o vice-presidente da sigla, Beto Albuquerque, o secretário-geral da legenda, Renato Casagrande e os 5 governadores: Paulo Câmara (Pernambuco), Márcio França (São Paulo), Rodrigo Rollemberg (Distrito Federal), Daniel Pereira (Rondônia) e Ricardo Coutinho (Paraíba).

Apoiadores do ex-ministro se esforçaram para minimizar divergências internas antes do lançamento da candidatura. Na avaliação de Delgado, a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ajudou a diminuir a resistência em Pernambuco, estado de Eduardo Campos, presidenciável do PSB em 2014 morto em um acidente durante a campanha.

Havia uma articulação local entre socialistas com o PT. Na disputa pela reeleição, Paulo Câmara poderia apoiar Lula em troca da desistência da candidatura de Marília Arraes ao governo pernambucano. A petista é prima de Eduardo Campos e rompeu com o PSB em 2014. (HuffPost Brasil)




Publicado por: Daniel Campos - 19/04/2018 - 15:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.38/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.4/5 (8 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



A presidenciável Marina Silva (Rede) sinalizou nesta terça (17) que não pretende abrir mão da cabeça de chapa em uma eventual composição com o PSB, do ex-ministro do STF Joaquim Barbosa, mas não negou o diálogo em uma campanha que prometeu conduzir franciscanamente. "Até chamei minhas amigas para fazer um brechó para ver se renova o guarda-roupa da candidata", disse à imprensa, após encontro com investidores organizado pelo Banco Santander, em São Paulo.

Questionada se aceitaria ser vice de Barbosa, Marina falou que está determinada a continuar defendendo o legado de 2010 e 2014, sem negar o diálogo com "aqueles com quem caminhou junto em 2010 e 2014" - o que, portanto, inclui o PSB. "Continuamos o processo de diálogo, sem que isso implique necessariamente que se tenha de abrir mão da candidatura", disse ela, ao ressaltar que respeita a dinâmica interna do PSB.

Em momentos de trevas que estamos vivendo, afirmou, "quanto mais estrelas no céu mais claro pode ficar o caminho". Marina disse que os quase 20% de intenção de voto colhidos no último Datafolha em cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é um registro de um momento. "Ainda há um período grande para avaliação da sociedade", ponderou. (Folhapress)




Publicado por: Daniel Campos - 18/04/2018 - 07:24:46  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 4.33/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 4.3/5 (3 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Uma eventual candidatura do ex-ministro Joaquim Barbosa ao Planalto torna, para algumas siglas aliadas do governador Paulo Câmara, a presença na chapa majoritária no Estado ainda mais necessária. É o caso do PDT. Os pedetistas alimentavam a hipótese, ainda que remota, de o PSB apoiar a candidatura presidencial de Ciro Gomes.

Com a candidatura iminente do ex-ministro do STF à Presidência da República, os planos iniciais, nas hostes pedetistas, se diluem e a intenção de ter uma vaga na majoritária do governador Paulo Câmara aumenta, uma vez que o partido quer espaço para defender sua candidatura presidencial. Com seu projeto principal, que seria o apoio do PSB a Ciro, praticamente inviabilizado, o PDT defende como "acessório" o pleito de ter uma vaga para o Senado, ao menos, da qual não pretende abrir mão. A composição estaria hipotecada e pedetistas aguardam que "cumpra-se o combinado" sob a lógica da necessidade de se defender a postulação de Ciro, considerando, de quebra, as chances de um nome do PCdoB ter espaço para defender Manuela D'Ávila e do próprio governador já encabeçar o palanque do PSB. Seria um desenho de mais de um presidente sendo apoiado pela mesma chapa.

Nas hostes pedetistas, já se aponta como uma subtração nos planos iniciais o fato de o PSB ter uma candidatura presidencial e os pedetistas não contam, hoje, com a possibilidade de perder espaço numa chapa majoritária também em Pernambuco.




Publicado por: Daniel Campos - 12/04/2018 - 15:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.80/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.8/5 (5 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



O vice-governador Raul Henry não perdeu tempo e já ingressou com uma representação no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a dissolução do partido, realizada nesta terça-feira (20) pela Executiva nacional do MDB. O relator será o ministro Ricardo Lewandowski.

A ação contesta a decisão monocrática tomada pelo ministro Ademar Gonzaga. Segundo a ação, há Conflito de Competência, do diretório estadual. A defesa de Henry alega que o ministro do TSE "exorbitou de sua competência ao decidir uma matéria que não seria de atribuição da Justiça Eleitoral".

Para este processo no STF, Raul Henry e Jarbas Vasconcelos contrataram uma advogada de peso, a ex-ministra do TSE Luciana Lóssio. Ela é prima do ex-prefeito de Petrolina, Júlio Lossio, que foi aliado do grupo jarbista. (Blog da Folha)




Publicado por: - 21/03/2018 - 15:01:57  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.55/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.5/5 (11 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Após um período de recesso em função do falecimento recente de seu pai, a presidenciável Marina Silva retoma as articulações políticas e, deixou pré-agendado com o ex-prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio, um ato no qual vão debater os problemas do semiárido. O evento será realizado na Ilha do Massangano, em Petrolina. A discussão contra a privatização da Chesf estará na pauta. A previsão é de que a atividade ocorra em fevereiro. A data está dependendo da agenda de Marina Silva. Esse encontro marcará a filiação de Lóssio à Rede, cujo martelo foi batido, ontem, durante o primeiro contato entre ele e a presidenciável em Brasília. Como a coluna antecipou ainda em novembro, Lóssio concorrerá a governador de Pernambuco, encabeçando palanque para Marina no Estado.

A reunião na Capital Federal contou com a presença ainda de dois membros da direção nacional da Rede: Basileu Margarido e Pedro Ivo Batista. Marina chegou a brincar com Lóssio, que vem percorrendo o Estado com movimento intitulado "Pernambuco Pode Mais", dizendo que, talvez, fosse o caso de ela adotar também "O Brasil Pode Mais". Com essa etapa do tête-a-tête concluída, o próximo passo, agora, é organizar o ato no Sertão do São Francisco. Lóssio deixará o PMDB - partido pelo qual se elegeu prefeito de Petrolina duas vezes, disputando, na última, contra o ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, cujo pai, o senador Fernando Bezerra Coelho, também está no páreo para concorrer ao Governo do Estado. As informações são da FolhaPE)




Publicado por: Daniel Campos - 01/02/2018 - 07:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 1.50/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1.5/5 (10 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



O ministro das Minas e Energia, Fernando Filho (sem partido), revelou, nessa quarta-feira (3), que deverá ingressar no PMDB. Após rumores darem conta que o auxiliar do presidente Michel Temer (PMDB) poderia ir para o DEM e mais recentemente para o PR, o auxiliar garante que o seu destino é a agremiação do presidente Michel Temer (PMDB).

Nessa quarta, ele acenou que o desembarque no partido pai e senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) será o provável. "O PMDB é o caminho natural", resumiu o ex-socialista, durante o enterro do empresário e ex-ministro Armando Monteiro Filho. De acordo com Fernando, a demora em ingressar na legenda se dá em virtude do imbróglio jurídico pelo controle da legenda travado entre o grupo político dos Coelho e o atual presidente estadual do PMDB, o vice-governador Raul Henry. "Estamos aguardando o desenrolar", disse.

Atualmente, a disputa pelo comando da sigla está judicializada. O grupo dos Coelhos espera uma posição da Justiça pernambucana sobre o comunicado feito pela Executiva Nacional de que a prerrogativa de destituir é decisão partidária interna. A expectativa de Bezerra Filho é que o desfecho sai ainda em janeiro ou fevereiro.

Já o grupo de Henry, entretanto, se atém a primeira decisão liminar concedida contra a destituição. Enquanto espera o final da novela, Fernando Filho também revelou que já conversou com o presidente da Câmara dos deputados, Rodrigo Maia (DEM), e externou a sua disposição de ir para o PMDB.

Como existia a possibilidade de Fernando desembarcar no Democratas, o esforço é para evitar qualquer ruído o aliado. Segundo Fernando Filho, o desembarque no partido do pai está relacionado ao projeto majoritário. Ainda ontem, o ministro afirmou que ingressará na futura legenda com o intuito de renovar o mandato de deputado federal e admitiu que, com a iminência de FBC assumir o MDB, outros parlamentares deverão ingressar no partido. "Temos boas condições de atrair alguns parlamentares", pontuou. (Blog da Folha)




Publicado por: Daniel Campos - 04/01/2018 - 11:43:09  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 1.55/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1.5/5 (11 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Com a presença do ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República, Eliseu Padilha, e do presidente do Senado, Eunício Oliveira (CE), lideranças do PMDB e filiados à legenda participam, nesta terça-feira (19), da Convenção Extraordinária da sigla, em Brasília. Entre os presentes de Pernambuco, o senador Fernando Bezerra Coelho, que oficializou sua entrada no PMDB em setembro.

Na abertura do encontro, o presidente da sigla, o senador Romero Jucá (RR), sinalizou para o colega de Senado. Segundo ele, o processo de intervenção deverá ser concluído até o final de janeiro. Outro tema na pauta da convenção é mudança do nome do partido para MDB. Durante o discurso, Jucá afirmou que "não estamos fazendo mudanças no estatuto no sentido de modernizar o estatuto".

"Estamos apenas inserindo no estatuto a nova legislação eleitoral que define como são os procedimentos para repasse do fundo eleitoral e também estamos fazendo uma correção no que diz respeito a um dispositivo que foi aprovado há quatro anos. Esse dispositivo foi aprovado, mas não foi inserido no texto do estatuto por um equívoco. Isso foi descoberto no momento que nós procedemos o início do processo de intervenção em Pernambuco; esse processo está andando, nós iremos realizar a intervenção. O processo em Pernambuco será concluído no início do ano e nós teremos o PMDB ou o MDB fortalecido em Pernambuco com a presença do senador Fernando Bezerra e de diversos deputados federais de Pernambuco que ingressarão no partido", afirmou Jucá. (FolhaPE)




Publicado por: Daniel Campos - 19/12/2017 - 13:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 1.09/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1.1/5 (11 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



O deputado federal Luciano Bivar (PSL) quer que seja obrigatória a assinatura do motorista quando for autuado por infração de trânsito. Ele apresentou projeto de lei com essa determinação, justificando que assim os proprietários de veículos estarão protegidos de multas abusivas. Caso o motorista se recuse a assinar, o agente de trânsito deve usar duas testemunhas. A nova regra só não seria aplicada para as infrações registradas por equipamentos eletrônicos. (Blog RJ)

 




Publicado por: Daniel Campos - 01/11/2017 - 20:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.11/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.1/5 (18 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



O aguardado encontro entre a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffman, com o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, será nesta quarta-feira (1) pela manhã. Os dois participam de um café da manhã, a partir das 9h, na sede do partido em Brasília. Participam o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, e Renato Casagrande pelo PSB. Do PT, o deputado federal Paulo Teixeira deve acompanhar Gleisi.

Será o primeiro encontro político entre PT e PSB desde o rompimento em 2013. Os partidos tentam estabelecer uma ponte para reatar a aliança na eleição de 2018. Um processo que pode se refletir na Frente Popular do governador Paulo Câmara. Em Pernambuco, interlocutores também tentam renovar os laços, mas as costuras dependem do contexto nacional.

À tarde, a direção nacional do PSB também se reúne com a presidente nacional da Rede, Marina Silva, em Brasília. A ex-senadora foi candidata à presidência da República pelo PSB nas eleições de 2014.

Paulo Câmara participa dos encontros como vice-presidente nacional do PSB. Na Capital Federal, Câmara ainda se reúne com o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM). (Blog da Folha)




Publicado por: Daniel Campos - 01/11/2017 - 13:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.31/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.3/5 (13 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Uma pesquisa do instituto Ibope foi divulgada nesta segunda-feira (30) com índices de intenção de voto para a eleição presidencial de 2018.

O Ibope ouviu 2.002 pessoas, em 143 municípios, nos dias 18 e 22 de outubro de 2017. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

O nível de confiança da pesquisa divulgada nesta segunda-feira, segundo o Ibope, é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos percentuais, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

De acordo com o instituto de pesquisa, as perguntas nas quais a soma das porcentagens não totalizam 100% são decorrentes de arredondamentos ou de múltiplas respostas.

Pesquisa estimulada

Veja os resultados nos cenários estimulados, nos quais os pesquisadores apresentam uma lista de possíveis candidatos à Presidência:

>>> Cenário 1:

Lula (PT): 35%
Jair Bolsonaro (PSC): 13%
Marina Silva (Rede): 8%
Geraldo Alckmin (PSDB): 5%
Luciano Huck: 5%
João Doria (PSDB): 4%
Ciro Gomes (PDT): 3%
Álvaro Dias (Podemos): 2%
Ronaldo Caiado (DEM): 1%
Chico Alencar (PSOL): 1%
Henrique Meirelles (PSD): 0%
João Amoêdo (Novo): 0%
Em branco/nulo: 18%
Não sabe/não respondeu: 5%

>>> Cenário 2:

Jair Bolsonaro (PSC): 15%
Marina Silva (Rede): 15%
Luciano Huck: 8%
Ciro Gomes (PDT): 7%
Geraldo Alckmin (PSDB): 7%
João Doria (PSDB): 5%
Álvaro Dias (Podemos): 3%
Henrique Meirelles (PSD): 1%
Fernando Haddad (PT): 1%
Ronaldo Caiado (DEM): 1%
Chico Alencar (PSOL): 1%
João Amoêdo (Novo): 1%
Em branco/nulo: 28%
Não sabe/não respondeu: 6%

G1




Publicado por: Daniel Campos - 30/10/2017 - 12:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 1.85/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1.8/5 (13 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



A Câmara dos Deputados rejeitou nesta quarta-feira (25) o prosseguimento da denúncia contra o presidente Michel Temer para o Supremo Tribunal Federal (STF). Com isso, o processo ficará parado enquanto Temer exercer o mandato, portanto, até 31 de dezembro de 2018.

Temer foi denunciado pela Procuradoria Geral da República (PGR) pelos crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça.

O entendimento de que o processo fica parado até o fim do mandato já foi aplicado, por exemplo, quando a Câmara rejeitou a denúncia contra Temer por corrupção passiva.

Na ocasião, o relator do caso no Supremo, ministro Luiz Edson Fachin, decidiu:

"Diante da negativa de autorização por parte da Câmara dos Deputados para o prosseguimento do feito em relação ao presidente da República, o presente feito deverá permanecer suspenso enquanto durar o mandato presidencial."

Com o processo parado, Fachin também deve determinar a suspensão do prazo para a prescrição, interrompendo, assim, o tempo no qual a demora para o julgamento elimina a possibilidade de punição. (G1)




Publicado por: Daniel Campos - 26/10/2017 - 12:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.42/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.4/5 (19 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Como foi noticiado ainda na última terça-feira (24), no Portal da FolhaPE, o ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Coelho Filho, entregou, na manhã desta quarta-feira (25), seu pedido de desfiliação ao PSB.

Com isso, a reunião marcada para sexta-feira (27) que trataria da expulsão dos dissidentes será cancelada, como já havia previsto o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira. Os processos de expulsão perdem o objeto com os pedidos de desfiliação entregues entre a terça-feira (24) e esta quarta-feira (25).

Na terça-feira (24), quatro deputados já tinham encaminhado seus pedidos ao partido: Tereza Cristina (MS), Fábio Garcia (MT), Danilo Forte (CE) e Adilton Sachetti (MT). (FolhaPE)




Publicado por: Daniel Campos - 25/10/2017 - 21:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.00/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.0/5 (14 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Em um dia de intensa movimentação partidária e duas notas divulgadas pelos grupos do partido, com relação à disputa do comando do PSDB no Estado, o ministro das Cidades, Bruno Araújo, divulgou um terceiro texto em que descreve que vem sendo procurado por integrantes do partido, que, diz, o querem como presidente da sigla. Em três parágrafos, o ministro conclui a nota dizendo que aceita o desafio de comandar o PSDB.

"Aceito essa convocação. Estamos preparados para realizar nossa convenção Estadual e nela fortalecer nossas ideias e compromissos por Pernambuco", diz o texto que encerra a nota.

À tarde, o ex-prefeito de Jaboatão já havia defendido o nome do deputado federal Daniel Coelho para presidente. Horas depois, um grupo divulgou uma segunda nota conclamando Bruno Araújo a comandar a sigla.

Leia a íntegra da nota de Bruno Araújo:

Nos últimos dias tenho sido procurado pelos nossos dois ex-governadores, deputados, prefeitos, vereadores e lideranças do PSDB no sentido de contribuir na presidência da legenda em Pernambuco. Vinha refletindo sobre o tema dada a missão que que hoje desempenho.

Recebo essa convocação como um gesto de apreço e confiança. Temos no PSDB a responsabilidade de apresentar alternativas que garantam aos pernambucanos segurança, avanços sociais e desenvolvimento econômico sustentável. Juntos com todas as lideranças devemos organizar, fortalecer e preparar o partido para os desafios a frente.

Aceito essa convocação. Estamos preparados para realizar nossa convenção Estadual e nela fortalecer nossas ideias e compromissos por Pernambuco.

Bruno Araújo

FolhaPE




Publicado por: Daniel Campos - 05/10/2017 - 14:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.45/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.4/5 (29 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Pesquisa do instituto Datafolha divulgada nesta segunda-feira (2) pelo jornal "Folha de S.Paulo" aponta que 54% dos entrevistados consideram que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deveria ser preso com base nas informações reveladas pela Operação Lava Jato.

O petista foi condenado em julho pelo juiz federal Sérgio Moro a 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro sob a acusação de ter recebido um apartamento triplex em Guarujá (SP) como propina da construtora OAS. Ainda cabe recurso da condenação.

No mesmo levantamento, o Datafolha registrou que 89% dos entrevistados avaliam que a Câmara dos Deputados deve autorizar o Supremo Tribunal Federal (STF) a analisar a denúncia por organização criminosa e obstrução de Justiça apresentada contra o presidente Michel Temer.

Em 14 de setembro, o então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou ao STF uma segunda denúncia contra o peemedebista. No entanto, para que os ministros da Suprema Corte possam apreciar se aceitam ou não a denúncia, os deputados federais têm que dar aval.

Atualmente, a denúncia está sob análise da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara. Depois, os deputados terão que votar em plenário o relatório que será elaborado pela comissão. A expectativa é de que a apreciação da denúncia no plenário da Câmara ocorra até o fim de outubro.

O Datafolha perguntou a opinião dos entrevistados sobre escândalos recentes.

Veja as perguntas sobre Lula

Considerando o que foi revelado pela Operação Lava Jato, Lula deveria ser preso (em %)

Sim, deveria: 54%
Não deveria: 40%
Não sabe: 5%

Na sua opinião, Lula vai ou não ser preso? (em %)

Sim, vai ser preso: 28%
Não vai ser preso: 66%
Não sabe: 7%

Confira a pergunta sobre a denúncia contra Temer

Os deputados federais deveriam autorizar a segunda denúncia contra o presidente Michel Temer? (em %)

Sim, deveriam: 89%
Não deveriam: 7%
Não sabe: 4%

O Datafolha ouviu 2.772 pessoas, em 194 municípios, nos dias 27 e 28 de setembro de 2017. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

O nível de confiança da pesquisa divulgada nesta segunda-feira, segundo o Datafolha, é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos percentuais, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. (G1)




Publicado por: Daniel Campos - 02/10/2017 - 10:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.24/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.2/5 (25 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



O governo Michel Temer atingiu os seus piores índices de avaliação, aprovação e confiança entre brasileiros, aponta pesquisa Ibope encomendada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) e divulgada nesta quinta-feira (28).

No levantamento, realizado neste mês, o percentual de entrevistados que avaliam a gestão como ruim ou péssima cresceu de 70% para 77% em relação à pesquisa anterior, feita em julho. O índice dos que consideram o governo como bom ou ótimo oscilou de 5% para 3%, dentro da margem de erro. Outros 16% classificam o governo como regular e 3% não souberam ou não quiseram responder.

Este é o quarto trimestre consecutivo de piora na popularidade do presidente.
Foram entrevistadas 2.000 pessoas, em 126 municípios, entre os dias 15 e 20 de setembro.

Quando questionados sobre a maneira de governar do peemedebista, 89% afirmaram desaprovar a gestão (em julho, eram 83%). A aprovação é de 7%, uma queda ante os 11% de julho.

Ainda de acordo com a pesquisa, 92% afirmaram não confiar no presidente (ante 87% de julho). O índice de confiança caiu de 10% para 6%.

DILMA

Para 59% dos entrevistados, o governo Temer está sendo pior do que o da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), que deixou definitivamente o cargo em agosto de 2016 após um processo de impeachment. Para 31%, a percepção dos governos está igual, e 8% responderam que o governo do peemedebista é melhor do que o da antecessora.

Em relação às perspectivas sobre o futuro da gestão, 72% afirmam que o governo continuará ruim ou péssimo. (Folhapress)




Publicado por: Daniel Campos - 28/09/2017 - 15:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.36/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.4/5 (25 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



A nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge, afirmou nesta terça-feira (26), após ser questionada sobre o assunto, que as investigações da Lava Jato terão "prosseguimento natural". Dodge disse, ainda, que a operação terá "todo o apoio" da gestão dela à frente da PGR.

Raquel Dodge concedeu nesta terça a primeira entrevista coletiva desde que tomou posse para o cargo, no último dia 18. Ela deu a declaração após se reunir com ministros para discutir a crise na segurança pública no Rio de Janeiro.

"O compromisso do Ministério Público com o combate à corrupção (...) é o meu compromisso", disse Dodge. "Esta investigação terá prosseguimento natural e todo o apoio da minha gestão à frente da Procuradoria Geral da República", acrescentou. (G1)




Publicado por: Daniel Campos - 27/09/2017 - 08:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.05/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.1/5 (19 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Por meio de uma cerimônia discreta, Josimara Cavalcante (PTB) assume definitivamente a prefeitura do município sertanejo de Dormentes na tarde desta segunda-feira (25).

O evento aconteceu na Câmara de Vereadores da cidade e contou com a presença dos 11 edis. Dormentes ainda está em luto pela morte do prefeito Geomarco Coelho (PSB), ocorrida na quinta-feira (21) passada.




Publicado por: Daniel Campos - 25/09/2017 - 17:57:38  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.56/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.6/5 (18 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Uma nova denúncia contra o presidente Michel Temer, oferecida pela Procuradoria Geral da República (PGR), e a análise de propostas da reforma política dominarão a semana no Congresso Nacional.

Temer foi denunciado ao Supremo Tribunal Federal pelos crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça. Mas o STF só poderá analisar a acusação se a Câmara dos Deputados autorizar.

A denúncia já está na Casa, desde a última quinta (21). Primeiro, será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e, depois, pelo plenário. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), estima que o processo estará concluído em outubro.

Paralelamente a isso, a Câmara tentará concluir, nesta terça (26), a votação sobre a Proposta de Emenda à Constituição que cria uma cláusula de barreira para as legendas terem acesso ao fundo partidário. A PEC também prevê o fim das coligações, a partir de 2020.

No Senado, os parlamentares também tentarão votar uma proposta de reforma política, a que cria um fundo para bancar as campanhas eleitorais. (G1)




Publicado por: Daniel Campos - 25/09/2017 - 13:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.16/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.2/5 (19 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Dirigido a "diretorianos, dirigentes e filiados", o ofício de nº 048/2017 trata do seguinte assunto: Adiamento do XIV Congresso Nacional do PSB. Segundo o texto, assinado pelo presidente Carlos Siqueira, uma reunião do diretório nacional na semana que vem servirá para referendar a mudança na data e a prorrogação dos mandatos dos membros do diretório até 15 de março de 2018.

No documento, Siqueira relata ter recebido sugestões, nas últimas quinta-feira (14) e sexta-feira (15), de lideranças, "incluídos nesse rol governadores", para que ponderasse sobre o adiamento.

Segundo socialistas relatam nos bastidores, embora o ofício tenha circulado na última segunda-feira (18), o martelo fora batido no último dia 14. Aliados do vice-governador de São Paulo, Márcio França, relatam que, naquela data, ele deixou o encontro dos cardeais do partido bem "contrariado". O pano de fundo é a disputa pela presidência nacional da sigla.

Segundo parlamentares registram em reserva, Márcio teria ido dar um ultimato a Siqueira. Há meses, fala-se, nas coxias, em um acordo segundo o qual Carlos Siqueria teria ficado de anunciar apoio para que Márcio fosse eleito presidente nacional do PSB. Havia expectativa de que Siqueira se pronunciasse em julho, mas esse prazo teria sido esticado. Resultado: Na noite da terça-feira (19), havia socialistas apostando que Márcio pode deixar o partido, seguindo o caminho trilhado, recentemente, por nomes como os senadores Fernando Bezerra Coelho, Romário e Roberto Rocha.

No ofício, Siqueira adianta que, na reunião do diretório nacional, irá sugerir os dias 1º, 2 e 3 de março para realização da Convenção. (Blog da Folha)




Publicado por: Daniel Campos - 20/09/2017 - 11:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 1.94/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 1.9/5 (18 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



Testemunha de defesa de Antonio Palocci, o ex-ministro da Justiça do Governo Dilma Rousseff (PT) José Eduardo Cardozo afirmou, nesta segunda-feira (18), sempre ter tido uma "excelente relação" com o companheiro do Partido dos Trabalhadores (PT).

Cardozo, que foi depor em favor de Palocci em março deste ano, avaliou que o correligionário, hoje preso e delator, é "um homem de uma inteligência e uma capacidade de articulação como poucas vezes vi". "E inclusive com uma qualidade na política que é saber controlar suas emoções para agir com frieza e atingir os objetivos a que se destina", disse em entrevista à Rádio Folha FM 96,7.

"Eu sempre tive uma excelente relação com o Palocci. Nos aproximamos bastante na campanha de 2010. Eu, ele e José Eduardo Dutra éramos conhecidos como os três porquinhos, porque eu estava bem mais gorducho do que eu estou hoje, tinha 21 quilos a mais. E então, naquele momento nós vivíamos o cotidiano. E eu sempre tive uma excelente relação pessoal com o Palocci. Acho o Palocci um homem inteligentíssimo", analisou, ao ser indagado sobre a relação entre eles.

Questionado, então, se ele poderia ser considerado um "simulador", Cardozo foi enfático: "Eu diria o seguinte: ele é uma pessoa que sabe calcular os fins e os meios na sua ação".

O ex-ministro da Justiça, no entanto, diferenciou Antonio Palocci do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Cardozo disse ter uma inimizade com o peemedebista desde a época de parlamentar, apesar de reconhecer a capacidade de estrategista do opositor. "Reconheço que o Eduardo Cunha era um homem inteligente, um homem frio, determinado e muito trabalhador. Agora, do ponto de vista ético, francamente...", disse. (Blog da Folha)




Publicado por: Daniel Campos - 18/09/2017 - 19:00:00  
Gostou dessa matéria?
  • Currently 2.39/5
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 2.4/5 (18 votos)

 

Comentários(0)  Imprimir  Compartilhar   



«Primeira «Recentes [1] 2 3 4 5 ... Antigas» Última»